Pai não aceita relacionamento gay da filha e mata a “namorada” dela a facadas

Anne Mickaelly é mais uma vítima da intolerância
A morte de Anne Mickaelly, 23 anos, ocorrida na madrugada de sábado, 06, que a polícia acreditava tratar-se de latrocínio, tem outra motivação. Os investigadores da 26ª Delegacia de Polícia de Samambaia/DF descobriram que ela foi morta pelo pai de sua “namorada”.

O indivíduo, cujo nome não foi divulgado para preservar a filha que é menor, ficou enfurecido ao saber que Anne iria pedir a mão de sua filha em “casamento” e a matou. O crime foi presenciado por testemunhas, que confirmou na delegacia ser ele o autor do assassinato.

Testemunhas contaram aos policiais, que momentos antes do crime Anne foi até a residência da “namorada” para oficializar o relacionamento e, antes de fazer o pedido, ela soltou fogos de artifício para comemorar o evento. O pai da jovem não gostou da audácia de Anne e decidiu tomar providências.

Ao se sentir em perigo Anne fugiu correndo, mas foi perseguida e alcançada na Quadra 519. O indivíduo de 46 anos a matou como facadas na cabeça e no rosto e depois evadiu-se do local e ainda não foi localizado pela polícia. Populares tentaram socorrer Anne, mas ela morreu no local.

Todas as testemunhas já foram ouvidas e segundo as autoridades confirmaram terem visto o pai da jovem esfaquear a vítima até a morte. Anne Mickaelly era de Presidente Dutra/MA e estava em Brasília a passeio. De acordo com o delegado, Anne não tem parentes na capital.


Comentários