Mulher enterrada viva por erro médico tentou sair do caixão segundo familiares

Túmulo onde Rosângela foi enterrada

Já imaginou passar mal e ao acordar estar dentro de um caixão, debaixo de sete palmos de terra? Pois foi justamente isso que aconteceu com Rosângela Almeida dos Santos, 37 anos, que os familiares acreditam ter sido enterrada viva após um erro médico.

O caso aconteceu na cidade de Riachão das Neves, no Oeste da Bahia, onde Rosângela ficou enterrada por mais de dez dias. Os familiares dela contam que o corpo de Rosângela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, o que reforça a certeza de que ela tentou sair do caixão.
 
Curiosos foram ao cemitério depois que o caso se espalhou
Rosângela estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras. Sua morte foi atestada no dia 28 de janeiro, foi enterrada no dia seguinte e só na sexta-feira, 09, que familiares violaram o túmulo, depois que moradores de casas vizinhas ao cemitério disseram que ouviram gritos vindos do túmulo.

Germana de Almeida, mãe de Rosângela, disse que o corpo da filha ainda estava quente e que até os preguinhos que ficam na parte de cima do caixão estavam soltos. “Fico imaginando o sofrimento da minha filha tentando sair da sepultura, para onde foi levada ainda viva”, lamentou Germana.
 
Policiais civis estão apurando o que aconteceu com Rosângela
A dona de casa Natalina Silva disse que esteve no local e ouviu alguém batendo dentro do túmulo, mas achou que se tratava de brincadeira dos meninos que vivem dentro do cemitério brincando. “Depois das batidas ouvi dois gemidos e depois parou”, afirmou ela.

A causa do falecimento indica quadro de choque septo, mas a Polícia Civil de Riachão das Neves vai investigar se a mulher foi realmente enterrada viva. Por meio de sua assessoria, o hospital divulgou nota dizendo que está à disposição dos familiares da vítima e da polícia para as explicações necessárias.


Comentários