Policial civil atira em bancário e é morto no local por policial militar

Local onde ocorreu a discussão que terminou em morte

Depois de atingir a perna de um bancário com um disparo de arma de fogo, o policial civil Eduardo Teixeira Moreno, 27 anos, foi morto a tiros pelo policial militar Luís Carlos Fragoso, 52 anos, na porta de um bar na Avenida Murchid Homsi, na Vila Ercília, em São José do Rio Preto/SP.

Eduardo, que era Auxiliar de Necrópsia, morava ao lado do bar e cansado do barulho durante toda madrugada nos finais de semana, no sábado, 03, pegou sua Honda Hornet e parou na porta do bar, onde começou a acelerar sem parar, com o intuito de atrapalhar quem estava dentro do bar.

A moto do policial (ao centro) foi apreendida
Para zoar o policial, as pessoas que ali se encontravam começaram a aplaudir com deboche, dando início à confusão. Segundo o delegado plantonista Jairo Garcia Pereira, as pessoas do bar foram em sua direção e um bancário atirou uma mesa de plástico contra o policial, que revidou com disparos.

O primeiro tiro acertou o chão e o segundo a perna do bancário. O militar Luís Carlos, preocupado com a segurança das demais pessoas no local, pediu Eduardo que largasse a arma, mas ele não atendeu e atirou contra o PM, que não teve alternativa senão revidar e o matar.

Luís Carlos foi preso e conduzido a um presídio militar, mas acabou sendo liberado depois de prestar depoimento, haja vista que agiu em legítima defesa. As armas do crime e a moto de Eduardo foram apreendidas pela perícia que esteve no local e o bancário foi socorrido ao hospital de Rio Preto.


Comentários