Policial monstro é preso por matar a amante grávida com a ajuda da mulher

Priscila estava grávida de oito meses quando foi assassinada
O policial civil Natanael Martins, 34 anos, e a mulher dele, Camila Alves da Cruz Martins, foram presos nesta terça-feira, 06, acusados de terem matado com diversos golpes de faca na barriga, a universitária Priscila Regina de Jesus, 29 anos, no dia 16 de outubro de 2017.

Priscila, que era amante do policial e estava grávida de oito meses, foi vítima de uma armadilha armada por ele e a esposa no Bairro Werneck, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte/MG. A prisão do casal foi efetuada pelo delegado Sérgio Belizário, da Delegacia Especializada de Homicídios.

Após investigação, constatou-se que a mulher do policial teve participação no bárbaro assassinato. Ela foi indiciada e presa por homicídio, da mesma forma que o policial civil. Uma cópia do inquérito será encaminhada à Corregedoria, que vai instaurar um procedimento administrativo contra o policial.

De acordo com o delegado, Priscila foi morta com várias facadas na barriga, que acabaram provocando também a morte do bebê que ela estava esperando e do qual o policial era o pai. A motivação para o crime é o fato de que a vítima estava pressionando o policial para assumir a paternidade da criança.

A universitária iniciou um relacionamento com o policial, que era lotado na delegacia do Bairro Planalto, sem saber que ele era casado. Apesar de o crime ter sido praticado no Bairro Granja Werneck, o corpo de Priscila foi encontrado em um matagal no Bairro Solimões, com a faca cravada no crânio.

Comentários