Casa de Passagem é visitada por ladrões três vezes em uma semana e não há registros

Nesse local isolado funciona a Casa de Passagem

A Casa de Passagem, órgão mantido pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Barra de São Francisco/ES para abrigar menores em conflito com a lei ou abandonados, sofreu três roubos em apenas uma semana, mas estranhamente nenhum Boletim de Ocorrência foi registrado.

O referido órgão, que funciona no Condomínio Nova Barra, foi criado na administração anterior e abriga várias crianças que aguardam lares substitutos. No local trabalham apenas mulheres que cuidam dos menores e, de acordo com apurações do Jornal Capixaba, nem vigia tem.

De acordo com moradores do bairro, os menores e as cuidadoras correm risco naquele local, pois ficam desprotegidas, haja vista que no local não tem vigia. “Eles usam o vigia do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social), que não vigia nem aquela repartição”, disse um morador.
 
Apesar de isolado, a administração não disponibiliza vigia para o local
Segundo outro morador, o vigia do CRAS fecha a porta, liga as luzes para mostrar que tem alguém no prédio e dorme a noite toda. “Tem vez que ele nem fica no serviço. Chega, fica algumas horas e depois vai para casa, onde fica até as 06h, quando retorna para bater o ponto”, denuncia o morador.

Da Casa de Passagem os ladrões levaram um botijão de gás e outros bens de valor irrisório. Mas o que preocupa é a falta de segurança para as crianças e servidores que ali atuam. “Nosso medo é que bandidos invadam o prédio e façam alguma coisa com as crianças”, finaliza o morador.

A fragilidade com que servidores trabalham no local preocupa alguns moradores do bairro, que temem por uma tragédia envolvendo as crianças. O Jornal Capixaba tentou manter contato com Priscila Alves Eduardo, responsável pelo órgão, mas não conseguiu.



Comentários