sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Nomeação de Raony para comissão da OAB Nacional eleva nome do Município

Advogado Raony Scheffer

Entrevista a Elvécio Andrade

O presidente da 5ª Subseção da OAB/ES, com sede em Barra de São Francisco, advogado e procurador municipal Raony Fonseca Scheffer Pereira, foi nomeado pelo presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, vice-presidente da Comissão Especial de Combate à Corrupção e à Impunidade.

Raony foi indicado pelo presidente da Seccional da OAB/ES, José Carlos Risk, visando fortalecer a OAB/ES e a sociedade brasileira. A indicação foi recebida com emoção por Raony, que agradeceu a Risk e aos colegas que oportunizaram a representação da classe e sua entrada no cenário nacional.

Num bate-papo descontraído no dia seguinte à Festa do Advogado realizada no dia 23 de agosto com sucesso total, Raony falou a respeito de sua indicação e nomeação ao importante cargo e afirmou que sua meta como vice-presidente da comissão é desempenhar o melhor papel possível. Leia a entrevista:

Jornal Capixaba. Como se sentiu ao ser indicado para assumir a vice-presidência da Comissão Nacional de Combate à Corrupção e à Impunidade?

Raony Scheffer. O sentimento foi de muita alegria e satisfação, mas ao mesmo tempo gera um senso de muita responsabilidade em razão de ser uma das Comissões mais importantes do sistema OAB, e também por ser hoje a corrupção e a impunidade um grande problema em nosso país.

Quem acompanha o noticiário político do Brasil atual pode pensar que nunca na história houve tanta corrupção e que o problema é típico do país, senão exclusivo. Não é o caso, como se pode demonstrar a partir de relatórios internacionais sobre o assunto. Também não é verdade que todo político seja corrupto: há exceções!

Na história recente do país, a corrupção tem sido frequentemente flagrada e exposta pelas autoridades policiais nos três poderes e alguns corruptos têm ido parar na cadeia, mas o mesmo não ocorre com os corruptores que, na maioria das vezes, conseguem se manter no anonimato. Quer um exemplo? Tornou-se mais do que conhecido o nome do juiz Nicolau dos Santos Neto - o Lalau - que se beneficiou do superfaturamento nas obras do Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo. No entanto, alguém saberia dizer de imediato de quem era o dinheiro que ele adquiriu com a falcatrua?

JC. Como funciona essa comissão? Você terá que se deslocar sempre a Brasília?

RS. Os trabalhos da Comissão abrangem todo o território nacional, e teremos que nos deslocar periodicamente a Brasília em razão de vários compromissos, encontros e reuniões.

Um dos objetivos da Comissão é procurar dialogar com as demais funções essenciais à justiça, os Poderes constituídos e a sociedade civil, visando ser um ponto de equilíbrio e de defesa da Constituição na construção da efetiva estratégia de combate a esse mal.

Estudo recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que cada R$ 1,00 desviado pela corrupção representa um dano para a economia e para a sociedade de R$ 3.00.

A corrupção no Brasil afeta diretamente o bem-estar dos cidadãos brasileiros quando diminui os investimentos públicos na saúde, na educação, em infraestrutura, segurança, habitação, entre outros direitos essenciais à vida, e fere criminalmente a Constituição quando amplia a exclusão social e a desigualdade econômica.

JC. Para o Espírito Santo e principalmente para Barra de São Francisco, qual a importância de sua participação nessa comissão?

RS. A nossa participação nessa Comissão, além de muito importante, certamente leva o nome da OAB capixaba, de Barra de São Francisco e região a uma posição de destaque no cenário nacional, proporcionando a representatividade da nossa terra com o compromisso de prevenção e combate à corrupção e à impunidade.

JC. Como vice-presidente, qual será sua participação nessa comissão?

RS. A nossa participação será como dirigente da Comissão, e trabalharemos de forma proativa (evitando ou resolvendo um provável problema antes mesmo que ele aconteça, por meio de planejamentos e execução de ideias e tarefas) e reativa (reagindo após qualquer acontecimento que indique ato de corrupção ou de impunidade).

JC. Na nossa região já houve algum presidente de subseção indicado para cargo tão importante em alguma ocasião?

RS. Até então nunca houve. Essa nomeação é algo inédito.

JC. Como estão se sentindo para assumir o cargo e quais suas metas?

RS. Como disse antes, o senso é de muita responsabilidade. Mas nos sentimos preparados para os desafios que estão por vir. Esperamos representar da melhor maneira os anseios da classe e da sociedade.

Sabemos que a missão não será fácil, mas vamos lutar para vencer todos os obstáculos. Rogamos à Deus sabedoria e proteção, sobretudo para discernir entre o bem e o mal.

A nossa meta é desempenhar o melhor trabalho possível!

JC. Conhecemos seu trabalho à frente da 5ª Subseção da OAB/ES, que revolucionou a entidade na região. Pretende fazer o mesmo como componente da comissão?

RS. Certamente se nos derem oportunidade e condições faremos um trabalho diferenciado, e iremos avançar e inovar cada vez mais.

JC. O Jornal Capixaba deseja sucesso e franqueia o espaço para expor o que tenhamos deixado de perguntar e que entenda importante destacar!

RS. Gostaria de agradecer a todos aqueles que acompanham a nossa trajetória, que contribuíram e sempre torceram pelo sucesso do nosso trabalho, e contar com as orações de todos para que Deus possa nos abençoar, iluminar e proteger sempre!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *